Sobre mim

Eduardo Rajabally


Nasci no Rio de Janeiro em 1970, sou documentarista, diretor de séries para tevê, roteirista e jornalista.

Há mais de 20 anos na profissão, passei primeiro por jornais como O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo, revistas e também atuei como redator e pauteiro do programa Jô Onze e Meia, ainda no SBT.

Na televisão, iniciei como assistente de direção em produções como Mulher Invisível (1996-1997), primeira produção nacional do canal GNT, e Diário do Olivier (1ª temporada), no mesmo canal. Trabalho como diretor desde 1999.

 Em todos estes anos, já conduzi cerca de 3.000 entrevistas, para documentários e programas de TV. Entre as muitas personalidades, formadores de opinião, políticos e artistas que entrevistei estão os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso; artistas como Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Jorge Benjor, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Rita Lee; atores internacionais como Willem Dafoe, Antonio Banderas, Patrick Swayze, Vanessa Redgrave e Jean Claude Van Damme; personalidades como Pelé, Gisele Bündchen, Walter Salles, Fernanda Montenegro, Marília Gabriela, Chico Anysio, Zico, Romário, Ayrton Senna, Jean-Michel Cousteau, Eric J. Hobsbawm e Amyr Klink.

Nas diversas séries em que estive à frente, dirigi mais de 350 episódios de programas para televisão (semanais, séries e especiais). Criei, escrevi e dirigi para canais como NatGeo, Discovery Channel, HBO, GNT, Multishow, Canal OFF, Telecine, AXN/Sony, A&E, Netflix, Animal Planet, TV Cultura, Canal Cuatro Espanha, TVI Portugal, TVE, TV Brasil, ESPN, SBT e Eurochannel.

Tenho especial interesse por conhecer novas histórias e ouvir pessoas de todos os tipos – o que considero mais do que uma ciência, uma Arte.

Ouvir pessoas merece muita atenção e estudo meticuloso, alem de uma busca incessante pelo aperfeiçoamento de mínimos detalhes necessários para uma conversa realmente produtiva. O desenvolvimento de uma Intuição aguçada é a contra-parte do que é mais racional nesse processo.

A tudo isso dedico boa parte do meu trabalho.

Em meus trabalhos pude viajar extensamente pelo Brasil, por todos os seus estados e capitais, pela maior parte de seus parques nacionais e ecossistemas. Pude conhecer a diversidade biológica e principalmente humana – cultural e social de meu país. Pouquíssimos são os lugares que ainda não visitei no Brasil.

Sou um estudante dedicado dos temas brasileiros, dos mais científicos (biológicos, antropológicos, históricos, geográficos e sociais) aos mais diversos (espirituais, religiosos, folclóricos, artísticos e musicais). Procuro dirigir minha carreira para explorar cada vez mais essas temáticas.

Tive também a oportunidade de filmar em muitos países da América Latina, nos EUA, na Ásia e na Europa, o que pode proporcionar outra perspectiva dos países visitados, diversa da viagem turística comum.

Tenho também profundo interesse pelo estudo de religiões comparadas e escrituras sagradas, o que ocupa uma parte grande e importante de tudo o que faço. Colocar em prática aquilo que estudo e aprendo de diversas formas é o grande desafio auto-imposto.

Por fim, sou músico amador. Violões e guitarras me acompanham há 35 anos. Apesar de ter algum estudo formal (inclusive no Berklee College de Boston, EUA), posso me considerar um auto-didata.